O que é Manutenção Preditiva?

Baseada na análise de dados colhidos ao longo do tempo, ela permite prever falhas e planejar intervenções mais eficientes e menos custosas. Saiba como!
manutenção preditiva

O que é a Manutenção Preditiva?

Manutenção Preditiva é uma metodologia que utiliza o acompanhamento contínuo de dados colhidos ao longo do tempo com o objetivo de prever falhas em máquinas, equipamentos e sistemas.

Monitorar temperatura, pressão, vazão, ruídos, vibração e muitos outros dados permite analisar e acompanhar tendências e a evolução de possíveis defeitos para tornar o planejamento da manutenção mais assertivo – e substituir equipamentos, trocar peças ou consertar avarias. 

A análise desses dados ajuda a definir a ocasião ideal de intervenção diante de uma possível falha. Ou seja, “a manutenção preditiva não conserta, mas indica o melhor momento para consertar”, afirma Fábio Alonso Abrahão, Diretor da Sírio Service. 

Todos os negócios podem se beneficiar ao utilizar a manutenção preditiva, porém é preciso analisar se o custo-benefício justifica o investimento para cada máquina/equipamento. 

Esse tipo de manutenção pode iniciar a qualquer momento da vida útil do equipamento. Porém, quanto antes começar, mais dados serão coletados ao longo do tempo. Consequentemente, mais precisa será a previsão de possíveis falhas. 

Banner infográfico - Tipos de Manutenção

 

Quais as vantagens da manutenção preditiva?

A manutenção preditiva permite prever e planejar intervenções de forma antecipada, evitando paradas inesperadas por quebra ou falha de algum componente ou sistema. Assim, ela colabora para diminuir o tempo de indisponibilidade de máquinas e o lucro cessante, além de evitar a necessidade de desmontagens para inspeções manuais. 

Fábio ressalta que ela também impede que pequenos defeitos se intensifiquem e se estendam para outros componentes do equipamento. Os custos com reparos também diminuem, pois são planejados com antecedência.

Dessa forma, é possível controlar o estoque e garantir a compra de peças e materiais necessários no prazo certo e com preços mais justos – afinal, não há urgência no recebimento. 

Além de aumentar a vida útil, a eficiência e a confiabilidade de máquinas e equipamentos, também melhora as condições de segurança do trabalho, pois auxilia na prevenção de acidentes. 

Como fazer a Manutenção Preditiva  

Em primeiro lugar, é preciso planejá-la através da elaboração do Plano de Manutenção Preditiva. Para tanto, de acordo com Fábio, deve-se realizar “o adequado treinamento da equipe, identificar os equipamentos que farão parte do plano e identificar os pontos e parâmetros que serão acompanhados, periodicidade de coleta de dados e inspeções”. 

Quando a preditiva é auxiliada por um software de gestão de manutenção, gera uma série infinita de dados. Analisando as informações, é possível mensurar e prever possíveis falhas e defeitos antes que eles, de fato, aconteçam. Uma vez que a equipe responsável analisa esses resultados, dois procedimentos podem ser adotados: 

  • Diagnóstico: levantar a origem e a gravidade da falha 

 

  • Análise de tendência de falha: prever a quebra ou defeito e programar o reparo antecipado para evitar que a falha aconteça 

Com a preditiva, é possível fazer uma gestão da manutenção mais eficiente, além de programar as manutenções preventiva e corretiva com dados mais precisos. 

Para Fábio, a preditiva faz parte do planejamento estratégico do negócio – quanto menor a indisponibilidade, mais tempo há para a produção. Ela também auxilia na gestão da manutenção e norteia as manutenções preventiva e corretiva, tornando-as mais eficientes e menos custosas. 

Empresas que utilizam a preditiva também têm mais vantagem competitiva no mercado, pois apresentam menos problemas, quebras e paradas – e, quando esses ocorrem, elas têm mais controle da situação e tomam decisões mais assertivas. 

 

Leia mais: Como fazer a manutenção de aparelhos frios e evitar custos excessivos

Quais os tipos de manutenção preditiva?

 A manutenção preditiva utiliza algumas ferramentas para gerar seus dados, como por exemplo:  

  • Análise de vibração: técnica utilizada para a detecção de defeitos mecânicos 
  • Termografia: auxilia na identificação, monitoramento e registro de variações da temperatura de um ambiente ou máquina – por exemplo, um refrigerador 

 

  • Ultrassom: permite detectar vazamentos em linhas de ar comprimido – como vapor e outros gases –, escapes de corrente elétrica e defeitos mecânicos 

 

  • Análise de trincas: detecta defeitos ou descontinuidades como fissuras em materiais ferromagnéticos 

 

  • Análise de Óleo: coleta informações sobre as condições do óleo – seja ele lubrificante ou isolante – como a quantidade de contaminação presente, oxidação e desgastes mecânicos. 

Com esses dados disponíveis e o auxílio do software, é possível gerar gráficos e relatórios para tomadas de decisão mais assertivas.  

Transformação digital na manutenção preditiva

No contexto da manutenção preditiva, a IoT – Internet of Things (do inglês, Internet das Coisas) possibilita o uso de dispositivos, sensores e softwares que, acoplados no equipamento, fazem medições automáticas e contínuas. 

Assim, fornece informações valiosas e infinitas em tempo real, permitindo “se antecipar a algum possível problema que possa parar a operação e atuar de forma mais rápida caso seja necessária uma corretiva”, afirma Igor Meneghin, gerente de contas da Construmarket

 Por sua vez, o Machine Learning (do inglês, Aprendizado de Máquina) oferece equipamentos ainda mais modernos, recursos de computação e automação, sobretudo nas linhas de produção. 

Com o apoio de algoritmos e programações, eles podem atuar de forma mais autônoma – dispensando a necessidade de intervenção humana constante – e identificar falhas em tempo real. 

 


TEXTO: Rafaela Assali


COLABORAÇÃO TÉCNICA 

Fábio Alonso Abrahão – Diretor da Sírio Service. Gestor de Manutenção e especialista em planejamento estratégico de manutenções preventivas, corretivas e preditivas, mantendo alto nível de disponibilidade e confiabilidade das instalações.

Gestão de infraestrutura predial e gerenciamento de Utilidades, gás, eletricidade e água atuando na implantação de projetos para redução de custos. Gerenciamento de obras de infraestrutura incluindo layouts, obras de civil/elétrica/ar-condicionado.

Gerenciamento de equipe própria e terceiros de elétrica, ar-condicionado, civil, hidráulica, mobiliário, recepção, elevadores, geradores, nobreaks, fontes de corrente contínua, recepção limpeza e conservação predial. Implantação de padronização de processos corporativos para a área de manutenção em nove sites da Contax. 

Igor Meneghin – Gerente de contas na Construmarket. Graduado em administração. Tem sólida experiência na área comercial com negociações de plataformas Saas para pequenas, médias e grandes empresas e auxilia em planejamento e desenvolvimento de projetos que envolvem Facilities e Manutenção Industrial.

Amplo conhecimento em softwares e plataformas Saas, desde a contratação até a implantação e treinamentos de todos envolvidos no projeto.


Leia também:  

Internet das Coisas na Gestão de Facilities e Manutenção

Conheça outros tipos de manutenção  

 O que é PMOC e como montar um para a sua empresa  

 

Lorem ispum

Lorem ipsum dolor sit amet

Conteúdos relacionados

Inscreva-se em nosso blog gratuitamente e receba as novidades!

Optimus, a ferramenta digital para gestão de manutenção e facilities.

Cansou de papel e
caneta na sua operação?
Conheça o Optimus